Site Overlay

ETF de renda fixa: saiba o que é, quais são as vantagens e desvantagens

O ETF é um tipo de investimento de renda variável. Porém, existem também o ETF de renda fixa, que possuem uma lógica própria e podem ser uma forma diferente de investir em renda fixa. 

Um ETF, sigla em inglês para Exchange Trade Found, traduzido como fundo negociado em bolsa, é um tipo de fundo de investimento composto por ativos que seguem um índice de referência. O ETF BOVA11, por exemplo, acompanha o desempenho do Ibovespa (IBOV), o principal indicador da bolsa de valores brasileira, a B3. 

“No caso dos ETFs de renda fixa, eles tendem a seguir os índices da Anbima de renda fixa. Podem ser índices indexados a títulos pré-fixados ou indexados à inflação, de curto ou de longo prazo”, explica Eduardo Perez, analista de investimentos da NuInvest. 

Veja na tabela abaixo uma lista de ETFs de renda fixa e quais índices eles acompanham:

TickerTaxa de administração (ao ano)Segue o índiceIR sobre o lucro (retido na fonte)FIXA110,30%S&P/BM&F de contratos futuros DI de 3 anos15%IRFM110,20%IRFM P2  de títulos públicos prefixados 15%B5P2110,20%IMA-B5 P2 de títulos indexados à inflação com vencimentos até 5 anos15%IMAB110,25%IMA-B de títulos indexados à inflação de vários vencimentos15%IMBB110,20%IMA-B de títulos indexados à inflação de vários vencimentos15%IB5M110,25%IMA-B 5+ de títulos indexados à inflação com vencimentos maiores que 5 anos15%B5MB110,20%IMA-B 5+ de títulos indexados à inflação com vencimentos maiores que 5 anos15%

Apesar de serem atrelados à renda fixa, que é associada a um risco menor de investimento, esse tipo de ETF é recomendado a investidores com perfil arrojado, já que são negociados em bolsa de valores e, portanto, têm volatilidade. 

Vantagens do ETF de renda fixa

Perez aponta entre os pontos positivos desse tipo de investimento o fato de não incidir Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). 

Outro fator favorável é o Imposto de Renda sobre o lucro é de 15%, mesmo para as operações de curto prazo (ao contrário do que acontece na tabela progressiva de IR, em que a alíquota de 15% incide sobre aplicações de prazo superior a 721 dias). 

“Isso é porque a tributação no caso dos ETFs vai depender do prazo médio da carteira. Como esses ETFs seguem índices da Anbima que são de títulos com prazos superiores a 2 anos, esse percentual de alíquota de IR fica em 15%”, explica Perez.

Outra vantagem apontada pelo analista é que não há a cobrança come-cotas, que acontece com fundos de cotas abertas como uma antecipação do Imposto de Renda. 

Desvantagens do ETF de renda fixa

Apesar de ser um investimento atrelado à renda fixa, esse tipo de ETF não possui rentabilidade garantida, ao contrário do que acontece com títulos pré e pós-fixados. 

“Esses fundos sofrem diariamente a marcação a mercado e não têm um vencimento específico. Por isso não é recomendado para quem tem objetivos de curto prazo”, explica Perez. 

Além disso, é preciso ficar atento à taxa de administração.