Site Overlay

Ações mais recomendadas para junho: Itaú, PetroRio e SLC sobem em ranking

As ações do Itaú Unibanco (ITUB4), PetroRio (PRIO3) e SLC Agrícola (SLCE3) ganharam posições no ranking de 14 carteiras recomendadas por bancos e corretoras para o mês de junho, em relação às indicações de maio. O levantamento feito mensalmente pelo InvestNews mostra também que a mineradora Vale (VALE3) permanece no topo da lista pelo quarto mês seguido desde o início da seleção, com 11 recomendações.

Com seis indicações em junho, a ação do Itaú subiu para o segundo lugar do ranking em junho, dividindo o pódio com o Banco do Brasil (BBAS3) em número de recomendações. Em maio, o banco havia recebido apenas duas menções das carteiras consultadas.

A companhia de petróleo PetroRio, que havia sido recomendada por 4 times de analistas no mês passado, passou a receber cinco indicações. Com isso, a empresa divide em junho a terceira posição da lista, ao lado da maior player do setor, Petrobras (PETR4), e da produtora de grãos SLC Agrícola, que passou a integrar a carteira do Ibovespa em maio.

Petrobras e Vale, além de se manterem no topo das mais recomendadas, também tiveram sua exposição elevada por corretoras como a Guide, que citou o momento vivido pelo petróleo e pelo minério de ferro no cenário internacional.

“Diante de uma demanda perene e que, com a chegada do verão no hemisfério norte e a diminuição das restrições na China tende a se tracionar, além de uma oferta ainda afetada pelo choque russo ucraniano, bem como pela manutenção da elevação apenas gradual da produção diária pela Opep, enxergamos os fundamentos da cadeia de petróleo sólidos e os preços se mantendo em patamares sustentavelmente altos”, destacou a Guide em relatório.

A produtora de alimentos JBS (JBSS3), por sua vez, foi uma das que perderam posições em junho, do segundo para o quatro lugar no levantamento, ao receber este mês quatro indicações, contra cinco em maio.

O ranking do InvestNews considera a somatória das ações mais recomendas pelos especialistas e acompanha mensalmente as recomendações dos seguintes bancos e corretoras:

  • Ágora
  • Ativa
  • BB Investimentos
  • BTG Pactual
  • Genial
  • Guide
  • Inter Research
  • Mirae Corretora
  • ModalMais
  • Nova Futura
  • NuInvest*
  • Órama
  • Toro
  • Terra

*A partir de junho, o levantamento passou a considerar a carteira de dividendos da NuInvest, no lugar da Top 10, uma vez que ela passou a ser referência de indicações da corretora.

Ações mais recomendadas para junho de 2022, segundo 14 carteiras de ações:

carteirasRanking de carteiras recomendadas por 14 corretoras e bancos em junho de 2022.

Vale

Em relatório, a Toro Investimentos sinalizou que, embora a volatilidade tenha sido característica inerente dos preços internacionais do minério de ferro nos últimos meses, novidades recentes anunciadas pela China podem contribuir para um cenário mais positivo. “As medidas expansionistas anunciadas pelo governo chinês, incluindo maior gasto estatal com obras de infraestrutura a fim de fomentar o crescimento no país, poderão gerar uma maior demanda com relação à commodity que poderá sustentar a demanda e os preços internacionais do minério de ferro”, disse a casa.

Banco do Brasil

Sobre o Banco do Brasil, a Terra Investimentos apontou que a instituição vem apresentando forte crescimento de crédito (especialmente o rural e em alguns segmentos para pessoas físicas), além de uma boa qualidade na carteira. A casa também mencionou que o BB negocia a um grande desconto em relação aos seus pares e que a empresa está pronta para apresentar números fortes em 2022, garantindo um retorno interessante em termos de dividendos para o acionista.

“O banco segue entregando resultados robustos, com destaque para rentabilidade acima do custo de capital, e acreditamos que o guidance no lucro para 2022 deve ser atingido, R$26,3 bilhões. O retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) perpétuo estimado pela média do mercado está entre (13,5% e 15%). Em termos de múltiplos destaque para EV/Ebitda em 3,9 vezes o lucro e 0,7 o valor patrimonial”, escreveram os analistas do Terra.

Itaú

Segundo a equipe de research do banco Inter, as ações do Itaú Unibanco reportaram um sólido resultado trimestral, com lucro de R$ 7,361 bilhões nos três primeiros meses do ano, uma alta de 15% em relação ao mesmo período do ano passado.

Os analistas do Inter também destacaram que o banco mostrou crescimento da margem com clientes, da receita com serviço e da receita com seguros, que ficaram ligeiramente acima das nossas expectativas. Para justificar a recomendação, também destacam-se os ganhos de eficiência operacional no trimestre.

Petrobras

A NuInvest manteve o papel da estatal na lista de recomendações, ao lembrar que só a troca do comando não é suficiente para alterar a política de preços de paridade internacional, como querem alguns parlamentares e setores do governo. “Isso porque o atual conselho de administração deve continuar defendendo a política de preços da companhia. A diferença, porém, dessa troca de comando para as anteriores é que as articulações para mudar a política ocorrendo nos bastidores parecem estar mais fortes do que das outras vezes”, avaliou a casa.

Apesar de tudo, pontuou a NuInvest, o principal pilar que comprometeria a tese de investimento é o fim da paridade internacional, mas que continua de pé até então. “Sendo assim, com a companhia negociando a cerca de 3 vezes P/L (preço sobre lucro) e 2 vezes o EV/Ebitda para os próximos 12 meses, gerando caixa e pagando (muitos) dividendos, entendemos que vale continuar com o ativo em carteira enquanto aguardamos por cenas dos próximos capítulos”.

PetroRio

A companhia de petróleo também foi um dos destaques da carteira para junho do Inter, em função de sua exposição ao segmento de Upstream, que vem colhendo os benefícios do aumento do preço de petróleo, que durante maio, voltou a atingir U$D 120/barril.

“Ademais, a PetroRio anunciou a concretização da negociação com a Petrobras sobre o Campo de Albacora Leste, o que, segundo relatório de certificação divulgado no final deste mês, tem o potencial de dobrar a sua produção diária de óleo a partir do ano que vem”, disseram analistas do Inter.

SLC

Para justificar a escolha da SLC em sua carteira, a Guide Investimentos destacou que SLC é uma das maiores empresas de produção agrícola no Brasil, com um modelo de negócios baseado na eficiência operacional e na alta escala de produção. “A empresa introduziu no setor agrícola brasileiro técnicas de gestão modernas, oriundas do setor industrial”, dizem os analistas.

Em relatório, a Guide aponta que a companhia tem um portfólio de propriedades diversificadas e com localização estratégica, 22 unidades produtivas em sete estados brasileiros, com predominância nas regiões Centro-Oeste e Nordeste, com cerca de 660 mil hectares plantados na última safra e capacidade de armazenamento de mais de 612 mil toneladas de grãos e 115 mil toneladas de algodão.

“Entre as vantagens, vemos a tecnologia utilizada em sua colheita e plantio, domínio da técnica do plantio direto, sistema de plantio sem revolvimento do solo, que reduz a níveis insignificantes as perdas de solo, água e nutrientes, e proporciona redução no custo de produção, devido à menor utilização de máquinas na lavoura”, diz a corretora em sua carteira.

Veja também